Novo exame PMP com base no Guia PMBOK 6 – Primeiras lições aprendidas

Desde Março/2018 o exame de certificação Project Management Professional (PMP®) do Project Management Institute (PMI®) vem sendo realizado tendo por base o Guia PMBOK® 6a edição.

Já há muitos candidatos aprovados no exame PMP com base na edição atual do Guia PMBOK®.  A seguir compartilho algumas informações que temos recebido dos alunos da PM Tech que têm feito o exame PMP já no Guia PMBOK® 6a edição.


A seguir estão mudanças reportadas pelos candidatos:

Mudanças nas questões

  • As questões são mais vagas e subjetivas (místico, é uma palavra que cheguei a ouvir 🙂 ).
  • Se no exame anterior havia casos em que as perguntas e respostas eram quase uma transcrição literal do Guia, isso não ocorre mais no novo exame.
  • As opções de respostas disponíveis estão muito próximas, exigindo muita atenção. Uma palavra pode mudar o contexto. E em cerca de 20 ou 30 questões é difícil identificar o que a pergunta está realmente procurando.
  • O exame da 6ª edição tem menos questões sobre fórmulas e definições. Embora a 5ª edição tivesse muitas fórmulas de valor agregado, estas são questões simples e diretas de baixa dificuldade. Ter menos questões com fórmulas deixa o exame mais difícil.
  • As questões não deixam claro em que processo se está trabalhando. O candidato tem que descobrir isso por si mesmo depois de ler cuidadosamente a questão.
  • Maioria de questões baseadas em cenários, do tipo: “O projeto não está indo bem … o que você deve fazer?”, “O que o gerente de projeto poderia ter feito para evitar essa situação?”, “Que processo o gerente de projeto pode ter deixado de fazer?”, “O que o GP deve analisar para resolver isso?”.
  • Há mais questões sequenciais (o que o GP deve fazer agora? O que deve fazer a seguir? Qual o próximo passo? ). Isso nos lembra que “decoreba”do Guia PMBOK®  não é suficiente para passar no exame. O Guia continua sendo a base para para os conceitos de gerenciamento de projetos, mas é preciso aplicar lógica,  perspicácia nos negócios e bom senso.
  • As questões estão mais curtas! Parece que o PMI se deu conta que não vale a pena fazer questões tão longas.
  • Mesmo assim, o pessoal tem sofrido para completar e revisar o exame em 4 horas.
  • Há mais questões sobre qualidade. Esse parece um foco do PMI, pois, embora na certificação PMP não haja um número específico de questões em cada área, no exame CAPM o PMI indicou aumento no percentual de questões das áreas de qualidade e comunicação.
  • Embora não haja uma área específica de conhecimento sobre responsabilidade social e profissional, tem caído questões sobre o assunto. Assim, é sempre importante dar uma lida no Código de Ética e Conduta Profissional do PMI.
  • Sete ou oito questões de valor agregado (mas só a metade exigindo cálculo), duas de PERT, dois diagramas de rede com caminho crítico.
  • Uma questão com diagrama sobre cálculo da folga no exame. Alunos da PM Tech já sabem o que fazer  🙂 .
  • E a grande dúvida: Práticas Ágeis. O candidatos não reportam muitas questões sobre métodos ágeis. Um candidato reportou apenas uma e outro umas três ou quatro no máximo. Mas devemos nos lembrar que o exame é dinâmico e novas questões sobre o assunto tendem a ser adicionadas.
  • De um modo geral a opinião dos que já fizeram é que o exame PMP referente à 6a edição está mais difícil que o referente à 5a Edição.

Sobre a condução do exame

  • A média de questões marcadas para revisão posterior pelos candidatos tem sido de 25 questões.
  • A tradução para Português está boa.
  • O período total de estudo tem sido de cerca de 90 dias.

Como estamos apenas com algumas semanas do exame PMP com base na 6ª edição do Guia PMBOK®, o retorno dos participantes ainda é limitado. Porém podemos notar que, cada vez mais, o exame PMP testa seu conhecimento como profissional de gerenciamento de projetos, deixando conhecimento do Guia PMBOK® para o exame CAPM.

O que reforçar em seu estudo

  • Espere cerca de 80% de questões que testam seu conhecimento em gerenciamento de projetos em geral e apenas 20% que testam sua memória sobre o que está no guia.
  • A maioria das questões devem ser situacionais, com duas ou três linhas, seguindo as diretrizes atuais do exame.
  • Não espere mais encontrar muitas questões numéricas. As que aparecerem devem ser baseadas principalmente em cálculos de valor agregado e VME. Essas questões devem ser fáceis e cerca de metade destas resolvidas sem o uso de nenhuma fórmula.
  • Antigamente era necessário conhecer os nomes dos teóricos da qualidade (Phillip Crosby, Joseph Juran etc.), porém estes nomes não são mais cobrados no exame. Assim, o foco do estudo deve ser nas teorias, não no nome dos teóricos.
  • Verifique com atenção as mudanças dos Processos de Enceramento e Controlar as aquisições, que absorveram o processo Encerrar as Aquisições.
  • Espere encontrar várias questões sobre liderança, técnicas de resolução de conflitos, teorias motivacionais e formação de equipe.
  • Conte com a possibilidade de ter de responder muitas questões sobre o termo de abertura.
  • Cuidado com questões contendo as palavras-chave “sempre”, “a melhor”, “a primeira”, pois em geral têm mais de uma resposta potencialmente correta.
  • Espere questões pedindo se o que você está realizando é planejamento, gerenciamento ou controle da qualidade.
  • Como o exame é situacional, são esperadas poucas questões diretas sobre entradas e saídas dos processos.
  • Não aprofunde o estudo em práticas e técnicas ágeis (além do que está no Guia PMBOK®), pois isso não é necessário para o exame atual.

Se você fez o exame da 6ª edição, por favor, deixe seus comentários abaixo! Eu adoraria ouvir você compartilhar sua perspectiva.

Fique atento às lições aprendidas reportadas pelos aprovados, no blog da PM Tech

Mauro Sotille

Mauro Sotille possui certificação PMP - Project Management Professional (desde 1998) e PMI-RMP (Risk Management Professional). Foi Mentor do PMI para o Brasil, Presidente do PMI-RS, membro do PMI Chapter Member Advisory Group e da equipe que desenvolveu o Guia PMBOK®. Tem treinado profissionais e acompanhado organizações na implantação de cultura corporativa de projetos. Autor de livros sobre gerenciamento de projetos e professor convidado da Fundação Getúlio Vargas (FGV), já ministrou mais de 170 cursos de preparação para certificação PMP e CAPM que proporcionaram a aprovação de centenas de alunos. É Diretor da PM Tech, onde orienta profissionais na capacitação em Gerenciamento de Projetos.

Siga-me: TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle Plus

Deixe um comentário

Você pode usar estes tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>