Dicas para fazer o exame de certificação PMP por Mauro Sotille

Introdução

A certificação Project Management Professional (PMP®), patrocinada pelo Project Management Institute (PMI®), é a credencial mais reconhecida e respeitada no campo do gerenciamento de projetos.

Para obter a certificação PMP, cada candidato deve satisfazer a todos os requisitos educacionais e profissionais estabelecidos pelo PMI, concordar com um código de conduta profissional e demonstrar certo nível de entendimento e conhecimento de gerenciamento de projetos. O exame de certificação PMP testa este conhecimento.

Neste artigo faço uma compilação de dicas para fazer e passar no exame, fatores de influência, como é o exame, etc.

Se você pretende fazer o exame, acesse o web site do PMI e comece a preencher o formulário. Você não necessita submetê-lo imediatamente. Preencha-o, armazene-o para revisão posterior e quando você se sentir preparado, envie-o. Para facilitar o processo de digitação das informações, utilize a planilha de apoio para a inscrição ao exame PMP.

Mais de 630.000 pessoas passaram no exame. Segundo as estatísticas do PMI, 72% das pessoas passam no exame na primeira tentativa. Com determinação, dedicação e trabalho árduo você também vai passar!

Fatores de influência

  • Estudar, estudar, estudar… entre 100 e 200 horas, o que deve lhe tomar cerca de três meses.
  • Para o exame, estude o “PMIismo” e tente acreditar nisso. Discordar do guia não lhe auxilia no exame.
  • Troque idéias com outros colegas que também farão o exame. Se puder monte um grupo de estudos.
  • O exame é longo e você provavelmente vai consumir as quatro horas previstas. Recomendo agendá-lo pela manhã, pois em geral é mais difícil se concentrar após o almoço.
  • Devido ao incremento de questões situacionais, o exame ficou mais extenso. Procure estar fisicamente preparado e bem disposto. Não deixe de dormir cedo na noite anterior.
  • Durante o exame, mantenha a calma nos primeiros dez minutos. Depois você pega o ritmo.

Fazendo o exame

  • Tenha em mente que o exame testa conhecimento, habilidade e experiência, não inteligência.
  • Embora você tenha 72 segundos para cada questão, recomendo praticar fazer o exame com uma média de 50 segundos por questão. Desse modo vão lhe sobrar cerca de 40 minutos para revisar as suas respostas.
  • No exame on-line, uma sugestão é fazer o exame em quatro partes separadas, ou seja, a cada hora completar 50 questões. Assim pode ser feita a verificação se há tempo para tomar uma água ou ir ao banheiro.
  • No exame em papel é necessário completar no mínimo 55 questões a cada hora, pois são necessários 15 a 20 minutos para preencher a grade de respostas.
  • Revisar é uma boa prática, principalmente devido a dicas para algumas respostas surgirem no enunciado de outras questões posteriores.
  • Antes do exame há um tutorial de 15 minutos orientando sobre o uso do sistema e apresentando algumas questões de exemplo.
  • Aproveite esse tempo para escrever informações úteis em uma das folhas de rascunho que é fornecida, antes de iniciar o exame. Use a técnica de memorizar algumas fórmulas e saber sua disposição em uma folha de papel. Logo que entrar na sala de exame, aproveite os 15 minutos do tutorial para reproduzir a folha memorizada no rascunho.  Mais tarde, durante o exame, estas notas vão ser uma boa referência para você. Treine em casa fazê-lo no máximo em 14 minutos. Essa técnica se chama”braindump”. Aprenda aqui como criar braindumps e baixe um exemplo.
  • A tela pode ser bipartida na horizontal, apresentando na parte de cima a questão traduzida em português e em baixo em inglês, permitindo que se visualizem as questões nos dois idiomas ao mesmo tempo (sendo que a resposta tem que ser marcada na tela em inglês).
  • Pode-se utilizar a folha de fórmulas apresentada neste documento. É interessante utilizar a mesma técnica com o diagrama de processos. Pratique escrevê-los em casa, antes do dia do exame.
  • As respostas contêm três alternativas plausíveis, porém incorretas e um alternativa correta. Elimine primeiro as alternativas implausíveis. Você deve desenvolver a habilidade de buscar pistas, às vezes pequenas, que tornam incorreta uma ou mais escolhas. Esta incorreção pode ser tão singela quanto uma palavra diferente na opção.
  • Se a questão for muito complexa, marque-a para revisão posterior. No exame on-line é possível consultar posteriormente uma tela onde aparece uma grade, onde cada questão apresenta a informação “Marcada”, “Incompleta” ou “OK”.
  • Responda as questões que você marcar para revisão, mesmo que você não tenha certeza da resposta. Se não houver tempo para revisá-las, ao menos você terá respondido algo, uma vez que questões não respondidas são consideradas incorretas.
  • Sempre haverá questões nas quais você não faz idéia do que está sendo perguntado ou gostaria que houvesse a alternativa “nenhuma das anteriores”. Todos passam por isso e ainda assim são aprovados no exame.
  • Não deixe nenhuma questão sem resposta, pois não há penalidade pelo “chute” e questões em branco serão consideradas erradas.
  • O sistema eletrônico do exame possui uma calculadora integrada. Embora o exame não seja um teste de habilidades matemáticas e provavelmente você consiga fazer cálculos do nível primário de cabeça, a calculadora vai ser útil para calcular os resultados de diferentes fórmulas (principalmente as do Gerenciamento do Valor Agregado).
  • Normalmente o centro Prometric vai lhe fornecer papel de rascunho (sem pauta, 6 a 8 folhas), lápis, borracha, calculadora e fones de ouvido (pois a maioria dos centros também ministra outros exames, onde textos são ditados ao candidato, o que pode lhe desconcentrar). Este material terá de ser devolvido ao final do exame.
  • Pratique! Pratique! Pratique! Faça quantos exercícios quanto possível. São eles que fazem a diferença.
  • Botão “Encerrar Exame”: Não se preocupe, pois ninguém está confiante ao apertar esse botão. Serão alguns dos segundos mais longos da sua vida até saber o resultado …
  • Não é apresentado gabarito ou índice de acertos. Apenas é informado se você foi proficiente em cada um dos cinco grupos de processos. E, é claro, a informação  “NO PASS” ou, preferivelmente, “PASS”!

Dicas sobre as questões

  • O número de questões situacionais no exame PMP é maior do que no exame CAPM, por exemplo, onde as questões são mais teóricas. A elevação do número de questões situacionais no exame aumenta bastante o número de palavras nos enunciados, fazendo que você em geral tenha de lê-los duas vezes para obter uma boa compreensão.
  • Embora o Guia PMBOK® seja dividido por capítulos relativos às áreas de conhecimento, as questões na prova têm aparecido ordenadas por GRUPOS DE PROCESSOS (embora a ordem devesse ser randômica).
  • Para se lembrar dos grupos de processos: IPECE – Iniciação, Planejamento, Execução, Controle e Encerramento.
  • Entenda o fluxo de dados. Imagine a situação em cada processo, lembre de seu trabalho diário, navegue pelo Guia PMBOK® olhando a saída do processo (produto) e analisando quais os insumos são necessários (entradas) e depois estudando as técnicas, uma a uma. Por analogia: você prova um bolo, descobre o que precisa para fazê-lo (ingredientes) e ferramentas, e depois parte para aprender as técnicas. Acesse aqui um artigo com técnicas para lidar com as entradas e saídas.
  • Use sua experiência e bom senso em todas as questões. Porém, pense como seria o bom senso do ponto de vista de um americano. Use a cultura deles no processo de “bom sensar”.
  • Conheça o Guia PMBOK® de “cabo a rabo”. Embora as questões não utilizem as mesmas palavras do Guia PMBOK®, o significado é similar. Por exemplo: “reduzir” ao invés de “mitigar”.
  • As definições que valem são aquelas do Guia PMBOK®. Procure compreende-las, não decorá-las.
  • Atenção às palavras-chave: “a melhor”, “a mais”, “o maior”, “nunca”, “exceto”, “o principal é”, pois usualmente indicam mais de uma resposta conceitualmente certa.
  • O exame PMP não tem mais questões com as alternativas “Todas as anteriores”, “Nenhuma das anteriores”, “A e B”, “B e C”, etc. Se o simulado que você estiver fazendo tiver esse tipo de questões, tome cuidado, pois o mesmo está desatualizado.
  • A alternativa correta não é necessariamente gramaticalmente correta.
  • Não se pode perder ponto nas questões de cálculo. Isso significa: esteja MUITO treinado nessa parte (PERT, Valor Agregado, custos, etc.) porque é matemática simples e nem calculadora exige!
  • As siglas de Gerenciamento do Valor Agregado foram traduzidas e agora aparecem em Português.
  • Espere pelo menos duas questões com diagrama de rede. Em geral é necessário estabelecer primeiro o caminho crítico. Utilize o rascunho para desenhar o diagrama, marcar as durações e encontrar o caminho crítico. Então responda a questão.
  • Pelo menos 10 questões vão necessitar conhecimentos relativos às entradas e saídas de processo. Baixe aqui uma planilha com todos os processos do Guia PMBOK®.

Dicas sobre conceitos de gerenciamento de projetos

  • Os processos no Guia PMBOK® são numerados conforme o capítulo em que são apresentados, iniciando pelo capítulo 4 – Gerenciamento da Integração.
  • Lembre-se que, a menos que explicitamente declarado, supõe-se que você está em um ambiente de matriz equilibrada (balanceada). Isto inclui os Gerentes funcionais controlando os recursos.
  • O gerente de projetos é pró-ativo e não espera até que os riscos de materializem e se tornem problemas. O gerente de projetos não escala problemas para a alta gerência ou para o cliente antes de analisá-los e identificar opções.
  • Assuma que lições aprendidas e bases de dados históricas estão disponíveis.
  • A EAP é uma ferramenta sensacional.
  • Um dos critérios para seleção de fontes (fornecedores) é tamanho e tipo da empresa. O Guia PMBOK® carrega forte influência da cultura dos EUA, onde micro e pequenas empresas que pertencem a mulheres, minorias, veteranos de guerra e algumas outras categorias gozam de privilégios nas contratações, sobretudo em contratos públicos.

Baixe aqui o arquivo em PDF contendo as dicas:

Se você tiver outras dicas ou sugestões, deixe um comentário.

Em outros artigos do blog você encontra um plano de estudo para a certificação PMP, fórmulas essenciais, bibliografia, fontes alternativas de estudo, etc. Fique ligado.

 

Mauro Sotille

Mauro Sotille possui certificação PMP - Project Management Professional (desde 1998) e PMI-RMP (Risk Management Professional). Membro do PMI Chapter Member Advisory Group (CMAG), foi Mentor do PMI para o Brasil, Presidente do PMI-RS e membro da equipe que desenvolveu o Guia PMBOK® . Tem treinado profissionais e acompanhado organizações na implantação de cultura corporativa de projetos. Autor de livros sobre gerenciamento de projetos e professor convidado da Fundação Getúlio Vargas (FGV), já ministrou mais de 160 cursos de preparação para certificação PMP e CAPM que proporcionaram a aprovação de centenas de alunos. É Diretor da PM Tech, onde orienta profissionais na capacitação em Gerenciamento de Projetos.

Siga-me: TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle Plus

Deixe um comentário

Você pode usar estes tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>